domingo, 30 de janeiro de 2011

Pedimos desculpa pelo incómodo!

Taça da Liga SuperFutsal 2010/11 (2ª fase - 1ª jornada)
26 de Janeiro de 2011, 22,30 horas

Bayern Monchique, 2
A. Vai Avante, 5

Jogo no Pavilhão do Choradinho, em Freixieiro

Bayern M. – Chumbo; Brito, Nuno [cap.] e Pedro (1); Tony.
Jogaram ainda: Taboada, Pascoal (1) e Arnaldo.
TR: Tozé Ribeiro

Ao intervalo: 1-2
Marcha do marcador: 1-0; 1-3; 2-3; 2-5.


Os bávaros

Pedro [MVP] e Pascoal – 7
Chumbo, Brito, Nuno, Tony, Taboada e Arnaldo – 6


Notas importantes que não podiam passar em claro:
- o golo do Pascoal deu ao Pedro a centésima assistência
- falta um golo ao Pedro para completar 200!
- faltam 10 jogos ao Tony para completar 200!
- ao Brito faltam 20, mas para chegar aos 100!
- ao Cadu que fazias anos no dia do jogo (já por isso folgou) só faltam 5 jogos para os 100
- pela primeira vez em 15 jogos (11 na LSF) o Taboada não foi titular
- já o Chumbo foi sempre titular nos 17 jogos que fez pelos bávaros

E a propósito disso, PARABÉNS CHUMBO! Hoje é o teu dia!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Depois de ontem..aqui fica para rir um bocado...




quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

???

Alguém me explica o que é isto?!?
O que é que o Mário tá a fazer?!?!?!?

Noctívagos


Pedro e companhia só permitiram que o Sol brilhasse a espaços


É sabido que os jogos da liga são sempre à noite e talvez por isso seja tão difícil à equipa do Sol Nascente de ganhar ascendente sobre os bávaros. Desta vez porém, no 4º jogo entre as duas equipas, o “Sol” até se adiantou no marcador, logo no primeiro minuto, mas foi sol de pouca dura. Rapidamente o Bayern virou o resultado, mostrando uma especial apetência para impedir a ascensão do Sol…



Liga SuperFutsal 2010/11 (10ª jornada)
21 de Janeiro de 2011, 21,30 horas

GD Sol Nascente, 3
Bayern Monchique, 5

Jogo no Pavilhão da Escola António Nobre, em Paranhos

Bayern M. – Domingues; Brito (1), Nuno [cap] e Pedro (4); Tony.
Jogaram ainda: Serginho e Cadu.
TR: Tozé Ribeiro

Ao intervalo: 2-4
Marcha do marcador: 1-0; 1-4; 3-4; 3-5.


O tempo tem sido pouco para escrever...
O mais importante a reter é que os bávaros tiveram muitas dificuldades para reunir um grupo de atletas a apresentar no jogo. Apenas 6 elementos estavam disponíveis, pelo que Domingues com o musculo da coxa “esfrangalhado” teve de se sacrificar em prol da equipa, avançando para a baliza. O maior receio dos bávaros é que este não conseguisse aguentar o jogo todo, mas felizmente conseguiu. As limitações deste foram mais ou menos evidentes, mas sempre fez melhor trabalho do que faria qualquer um dos seus colegas, nada habituados a essa posição específica.
O jogo até começou mal para o Bayern. Tony podia ter inaugurado o marcador, mas o remate de pé esquerdo saiu ao lado do poste. Logo a seguir os visitados chegaram ao golo, numa altura em que os jogadores de Monchique ainda tentavam acertar a melhor forma de os marcar.
Nada que incomodasse em demasia pois 3 minutos volvidos o Pedro igualou a partida, beneficiando de algum excesso de confiança de Huguinho, que demorou muito a despachar uma bola.
O 1-2 não demorou e desta vez apareceu com a ajuda de Motinha, o guardião e irmão do capitão Huguinho, que não conseguiu esticar-se de forma a parar um remate de muito longe.
Motinha continuou em maré de azar, pois 6 minutos depois também não conseguiu parar um remate tipo míssil de Brito, sensivelmente do mesmo sitio onde Pedro havia conseguido o 1-2.
Aos 15 minutos Pedro desferiu aquele que parecia ser a machadada final no resultado, após fintar com mestria e simplicidade dois adversários.
Parecia mesmo que a vitória bávara estava garantida, mas no último minuto da primeira parte Fabinho conseguiu reduzir, relançando o jogo.

Na segunda parte o resultado foi bastante mais magro, muito por culpa de Luis Pinho que assegurou a defesa das redes visitadas neste período. Por diversas vezes roubou golos “certos” aos bávaros e foi garantindo que o resultado não sofresse alterações.
Acabou por ser o “Sol” a reduzir para a diferença mínima aos 10 minutos, após erro grosseiro de Nuno que entregou uma bola a Huguinho, que por sua vez isolou Deco na cara do golo.

Podia ter sido um momento de viragem na partida, mas Pedro, a passe de Brito voltou a marcar, finalizando um contra ataque muito rápido.
Daí até ao final não houve mais golos, embora as oportunidades continuassem a aparecer com alguma regularidade.

Esta vitória reveste-se de grande importância para os bávaros, numa jornada em que os adversários mais directos, apesar de contarem com jogos de grande dificuldade, conseguiram ultrapassar esses obstáculos.



A Estrela

Pedro Sousa – nota 9

Autor de um póker nesta partida, lidera a tabela de melhores marcadores da liga, com 16 golos, mais 3 que o mais directo perseguidor. Além dos golos, incluindo dois de excelente efeito, distribuiu classe em pequenos pormenores que maravilham quem o vê jogar.


Os outros bávaros

Brito e Serginho – 8
Domingues, Nuno, Tony e Cadu - 7

Mister Tozé: nota 8



Esta semana começa a segunda fase da taça. O Bayern está inserido no “grupo da morte”, entre Vai Avante, FC Matosinhos e AC Gaia. Se a liga está ao rubro, como se pode constatar pela tabela classificativa abaixo, a taça, devido aos seus moldes competitivos, tem hipóteses de superar até o interesse suscitado na liga.


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Parabéns Presidente! 35 Anos!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Medo da noite e não do... sol

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

BÁVAROS DE OURO 2010


Feliciano Lima é o homem do momento e o bávaro do ano 2010!


É porventura a eleição mais surpreendente de sempre mas que premeia a dedicação deste novel bávaro (que só em 13 de Outubro se juntou à equipa) e o efeito talismã que andou sempre de braço dado com a vitória até ao fim do ano.

Sendo um prémio que visa aqueles que mostraram dedicação ao serviço dos bávaros, a surpresa é ainda maior pois o seu nome nunca sequer foi cogitado nas previsões das casas de apostas. Os próprios cibernautas elegiam Domingues (61%) para revalidar um prémio que havia ganho em 2005.

Feliciano acaba por ser premiado pela dedicação incondicional ao clube. Sendo treinador de uma equipa de futebol 7 e com o estatuto amealhado após recente vitória na Superliga, não precisaria de se sacrificar para desempenhar o papel de simples cameraman na estrutura bávara. Ainda assim, a amizade pelos atletas e dirigentes bávaros levaram-no a fazê-lo com dedicação. Como tal o prémio é mais que merecido, é justíssimo!



2010 – Feliciano Lima
2009 – Ricardo “Canhão”
2008 – Nuno Silva
2007 – Tony Silva
2006 – Arnaldo Martins
2005 – Pedro Domingues

Aguarda-se para os próximos dias a primeira entrevista do bávaro do ano!



----------------------------------------------------

Este prémio já não causa surpresa. Pedro foi mesmo o melhor jogador do ano, pese embora o forcing dos cibernautas em meter Brito na disputa. A verdade é que só a época de Norberto fazia frente à do irmão que acaba por revalidar a nomeação. Apesar das excelentes exibições, Norberto acabou por perder as suas hipóteses ao protagonizar o triste episódio na LSF…



2010 – Pedro Sousa
2009 – Pedro Sousa
2008 – Norberto Sousa
2007 – Pedro Sousa
2006 – Norberto Sousa
2005 – Arnaldo Martins


--------------------------------------------------------

A disputa para melhor redes do ano foi provavelmente a mais equilibrada e a que mais curiosidade suscitava. Chumbo com 58% dos votos dos leitores do blog e um arranque de época em grande nível era o favorito, mas a direcção bávara acabou por escolher o Rocha, que em apenas 5 jogos do torneio da Académica, deixou bem vincada a sua qualidade, tendo sido um dos principais artificies de um inimaginável 2º lugar na competição.



2010 – Rui Rocha
2009 – Rui Sá
2008 – Ricardo “Portero”
2007 – Rui Sá
2006 – Rui Rocha
2005 – Sérgio Dinis


--------------------------------------------------------



O treinador do ano volta a ser obviamente Tozé. Outro nome não poderia ser já que este ano todos os jogos foram orientados por ele, o que é de facto inédito.




2010 – Tózé Ribeiro
2009 – Tózé Ribeiro
2008 – Arnaldo Martins
2007 – Arnaldo Martins
2006 – Tózé Ribeiro
2005 – Manuel Maria


--------------------------------------------------------



Por fim, o “desprémio” que todos aguardavam. A grande desilusão do ano. Aquele nome que prometeu muito e pouco cumpriu.
Grandes nomes já passaram “por aqui”. Figuras tão carismáticas como diferentes na qualidade futsalistica, tais como Serginho e Jonny por exemplo.

O publico votava em Norberto, mas a fava calhou mesmo a Paulo Bossio que saiu pela porta pequena após apenas 5 jogos na defesa das redes bávaras. Pelo meio alguns frangos comprometedores e duas notas 4…
Quem sabe se um dia as portas não se reabrem para acolher este “monstro das balizas”?!??!




2010 – Paulo “Bossio”
2009 – Ricardo “Portero”
2008 – Serginho Guimarães
2007 – Bruno Leite
2006 – Marcos Calado
2005 – Jonny Ribeiro

sábado, 15 de janeiro de 2011

Correia tensa

Continuando com os trocadilhos à volta dos carros, apetece dizer que os bávaros jogaram sem Chumbo mas com a (o) Correia (da distribuição?) bem tensa, não plissando desta vez.


Liga SuperFutsal 2010/11 (9ª jornada)
12 de Janeiro de 2011, 23 horas

Celta Gaia, 1
Bayern Monchique, 4

Jogo no Pavilhão Municipal de Coimbrões

Bayern M. – Domingues; Taboada (1), Litos (1) e Tony [cap]; Arnaldo.
Jogaram ainda: Pascoal, Cadu e Correia (2).
TR: Tozé Ribeiro

Ao intervalo: 0-1
Marcha do marcador: 0-3; 1-3; 1-4.



Tozé apostou num cinco inédito com Domingues na baliza devido ao castigo a Chumbo. Tony tinha a tarefa de “perseguir” Filipe, a estrela da equipa contrária. Curiosamente Filipe não esteve presente no jogo e talvez por isso se explique que Tony andava perdido no inicio do jogo…
Inicio que foi muito equilibrado. O piso estava algo escorregadio nos extremos da quadra, embora nada que se parecesse com o cenário da semana anterior no Choradinho. O Bayern tinha mais posse de bola mas não conseguia chegar com perigo à baliza contrária. Poderia mesmo ter sofrido o primeiro golo à passagem dos 6 ou 7 minutos quando após um passe de Tony no meio campo, a bola foi desviada com o braço por um adversário e acabou sobrando para um contra ataque Celta. Na sequencia dessa jogada a bola foi endossada para dentro da área, com Domingues a sair a cortar, mas a tocar em JP enquanto deslizava.
Na marcação do penalty, Domingues defendeu com o joelho o remate de Ruka, mas o árbitro mandou repetir pois havia gente dentro da área.
Na repetição Ruka mandou a bola ao poste e o golo acabou por não acontecer.
O Bayern marcou depois já no final da primeira parte, poucos segundos antes do intervalo e essa vantagem foi decisiva para que os bávaros encarassem a segunda parte com outra tranquilidade.

Na segunda parte Correia marcou o seu primeiro golo aos 5 minutos, num belo desvio de calcanhar Antes disso já tinha atirado com espectacularidade uma bola ao poste, ao fazer um chapéu de pé esquerdo desde o meio campo.
O terceiro golo não demorou muito, novamente por Correia.
Helder ainda reduziu para os Celtas, mas a vitória bávara nunca esteve em risco.
Arnaldo falhou duas oportunidades de ouro, uma delas escandalosa mas Litos não falhou um golo fácil, fazendo o resultado final.



O filme dos golos ao minuto

0-1 [20m] Segundo atraso ao guarda redes a ser penalizado com a marcação de livre indirecto em cima da linha da área. Taboada aponta o livre, directamente à baliza, ficando a dúvida se a bola bateu efectivamente na barreira antes de entrar.


0-2 [25m] Passe de Pascoal desde o meio campo a rasgar a defensiva contrária. Correia dentro da área e de costas para a baliza, desvia a bola com subtil toque de calcanhar, fazendo um golo muito bonito.

0-3 [30m] Lançamento de baliza que Correia intercepta já no meio campo ofensivo. Corre para a frente com a bola controlada e à entrada da área puxa para o pé esquerdo e remata para o golo.

1-3 [34m] Ataque Celta da direita para a esquerda que a defensiva não consegue cortar. A bola sobra para Hélder ao segundo poste que faz o golo.

1-4 [38m] Arnaldo interecpta uma bola cruzada no meio campo e parte no dois para um com Litos. Ultrapassa o último defesa com finta para a linha e assiste Litos do outro lado, deixando o redes fora da jogada.


O "injustiçado" Chumbo foi recordado pelos adeptos
que exibiram uma tarja onde se lia
"2 jogos?!? Não se faz! O Marcão só levou 1"


A Estrela
Paulo Correia – nota 7
Aos 38 anos continua a ser um goleador temível, na posse de todas as suas capacidades. Foi o seu jogo de estreia nesta época da LSF e entrou a bisar, dinamizando o jogo ofensivo dos bávaros. Foi pena aquele chapéu de pé esquerdo desde o meio campo. Era um golaço, mas o poste não deixou.


Os outros bávaros

Domingues, Taboada, Litos e Pascoal – 7
Tony, Arnaldo e Cadu – 6

Mister Tozé: nota 6


AC Gaia atrasa-se; Matosinhos continua inabalável

Gaienses perderam o duelo da semana e são os grandes "derrotados" da jornada

Resultados:

Celta Gaia 1-4 Bayern Monchique
FC Matosinhos 3-2 Sol Nascente
C F C 1-5 Vai Avante
AC Gaia 0-4 Real Portvscale
Amigos FC 1-2 Reforços D’Inverno
TRFL United – União FC (apenas se joga sábado)

A jornada 9 da competição trazia dois grandes motivos de interesse. Dois jogos entre equipas da frente que poderiam trazer grandes alterações à classificação. Logo na terça-feira, enquanto o Bayern jogava em Coimbrões, o líder destacado, FC Matosinhos, recebia o Sol Nascente no Brás Oleiros.
Apesar de não contarem com a sua maior estrela, os matosinhenses conseguiram vencer, pela diferença mínima (3-2) o seu adversário, que vinha de 7 vitórias consecutivas, inclusive uma contra o Matosinhos na taça.
Nem o mau estado do recinto (tá visto que a humidade vai ser um problema recorrente em vários pavilhões da liga nestes meses de chuva…) conseguiu travar o Matosinhos que segue justamente no comando da prova.
É a única equipa da liga que em todos os jogos inscreveu um seu jogador como “Melhor em Campo”, o que é significativo e uma garantia da qualidade da equipa, com Paulinho que agora está no Vai Avante (3 vezes), Bananas (4) e Jorge (2) a serem os MVP’s, inclusive quando a equipa empatou ou perdeu. Até na taça esta situação acontece com Bananas e Jorge a brilharem mais alto que os outros…
O jogo que suscitava mais interesse era no entanto o AC Gaia – RPC, com os “realistas” a levarem de vencia os “gaienses” por 4-0. Com este resultado o Bayern regressa ao 2º lugar da classificação, lugar que tinha perdido precisamente para os gaienses.

Destaque ainda para a primeira vitória dos RDI, contra os Amigos.



A jornada seguinte poderá ser ainda mais interessante. Do grupo da frente, agora já separado por 7 pontos, apenas o Vai Avante terá uma semana (aparentemente) descansada, já que os outros candidatos defrontam-se entre si.

10ª jornada:

RPC – TRFL (segunda)
Vai Avante – Celta (segunda)
Matosinhos – AC Gaia (terça)
C F C – RDI (quarta)
União – Amigos (sexta)
Sol Nascente – Bayern (sexta)

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

...quase

Antes da divulgação dos bávaros do ano, deixo-vos com
o momento "alto" da semana. 

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Chumbo, Estou contigo!

domingo, 9 de janeiro de 2011

Gasolina sem Chumbo


Equipa bávara só começou a carburar após a expulsão do guardião

Com o piso muito húmido e escorregadio o Bayern andou a “pliçar” durante a primeira parte. Só no segundo período é que o “motor” dos bávaros começou a trabalhar de forma mais regular e consistente, conseguindo pela primeira vez que a utilização do guarda redes avançado, resultasse em algo melhor do que o acumular de mais golos sofridos…


Liga SuperFutsal 2010/11 (8ª jornada)
5 de Janeiro de 2011, 22,30 horas

Bayern Monchique, 5
C F C, 5


Jogo no Pavilhão do Choradinho, em Freixieiro

Bayern M. – Chumbo; Taboada, Nuno [cap.] (1), Brito (1) e Pedro (2).
Jogaram ainda: Domingues (1), Arnaldo e Tony.
TR: Tozé Ribeiro

Disciplina: Chumbo (vermelho por impedir um golo com a mão fora da área); Arnaldo (amarelo por mão na bola)
Ao intervalo: 0-4
Marcha do marcador: 0-4; 4-4; 4-5; 5-5.


Foi uma péssima entrada em jogo a protagonizada pelos bávaros. Fraca atitude competitiva, também conhecida por “atitude de merda” resultaram num golo sofrido logo aos 30 segundos de jogo. Outros dirão que não foi uma questão de atitude mas sim a influência do piso escorregadio que fazia os jogadores retraírem-se, principalmente na área bávara, o que prejudicava imenso o trabalho de quem se queria “agarrar ao chão” para poder defender em conformidade.
Aos 10 minutos de jogo já o Bayern perdia por três golos e não parecia conseguir fazer nada para contrariar a tendência. À semelhança daqueles motores antigos a gasóleo, o Bayern era uma equipa de grande cilindrada mas sem a cavalagem necessária para imprimir velocidade ao jogo.

A expulsão de Chumbo por volta dos 10 minutos acabou por ser o ponto de viragem do jogo e quiçá a “melhor coisa” que poderia acontecer ao Bayern naquela altura. Bem vistas as coisas Chumbo era o elemento que mais dificuldades aparentava sentir em campo. Ao cortar a bola com a mão, escassos centímetros fora da área, impediu que o C F C marcasse mais um golo e a verdade é que pelo andar da carruagem, o guardião bávaro dificilmente jogaria na segunda parte, pois era mais que certo que Tozé optasse logo pelo guardião subido no terreno.
Assim, Chumbo foi expulso e Domingues calçou as luvas. Defendeu o livre correspondente com o joelho, mas não conseguiu evitar o quarto golo um minuto depois. Ainda assim foi aí que o Bayern começou a mandar no jogo e a mudar a tendência do resultado. A entrada de Arnaldo e Tony também ajudaram a que a equipa jogasse mais no meio campo contrário e várias foram as oportunidades de golo que os bávaros não conseguiram materializar na primeira parte.

Na segunda parte quase só deu Bayern, também porque agora era o C F C a movimentar-se na área mais difícil da quadra e pode-se mesmo falar num festival de golos falhados, desde bolas ao poste até aqueles “golos feitos” que basta encostar ao segundo poste.
Apesar disso foi notória uma mudança de espírito e atitude. A vontade e velocidade já foram outras, como se tivesse havido uma mudança para uma gasolina com muitas octanas e o rendimento deste “motor” já foi outro. Seria uma questão de tempo até aparecer o golo e o que custou mesmo foi o primeiro aparecer, mas depois num ápice se marcou o segundo logo a seguir e em cinco minutos chegou-se ao empate a quatro bolas. Pelo meio uma mudança táctica, com Pedro a passar para guardião avançado no lugar de Domingues, o que permitia que Pedro ocupasse o vértice mais recuado do estranho pentágono, como estratega das jogadas de ataque.

Alcançado o empate e pese embora Tozé pedisse a mesma atitude e o mesmo assumir de riscos, o quinto para os bávaros não entrou. Na realidade foram os adversários a chegar novamente à vantagem com novo golo (o terceiro) de Pedro “Mizuno”. Tal não desmoralizou o Bayern, que tanto sofrera nesta partida e logo no minuto seguinte marcou-se o golo do empate a cinco bolas que subsistiria até final.
Nesses últimos minutos houve várias oportunidades de golo, mas outro resultado que não o empate seria penalizador para qualquer das equipas que mereceram sair daqui com pelo menos um ponto…



Vídeo dos golos disponível aqui ao lado na sua “BayernTV”

 
A Estrela

Pedro Sousa – nota 7

Marcou o primeiro e ultimo golo dos bávaros, aquele que deu o empate final ao Bayern, mas brilhou por ter sido o estratega da equipa no “cinco para quatro” e por ter assumido a defesa da baliza como se tratasse de um verdadeiro guarda-redes. Ainda sofreu um golo num lance que não teve hipóteses mas pode-se dizer que também salvou um ou dois golos de entrarem na baliza bávara.


Os outros bávaros
Nuno, Taboada, Brito e Domingues – 6
Arnaldo e Tony – 5
Chumbo – 4

Mister Tozé: nota 6


Nunca a liga esteve tão “acesa”

Em jornada de empates quem capitalizou foi AC Gaia, TRFL e Sol Nascente

A jornada começou na segunda-feira com dois jogos, ambos a darem empate a duas bolas. Se no jogo entre RPC e Matosinhos o equilíbrio de forças já era esperado, no jogo Vai Avante – Amigos, o empate foi uma surpresa.
No dia seguinte o TRFL cumpriu, vencendo por um golo, impedindo que mais uma vez o RDI alcançasse a primeira vitória na prova.
Na quinta feira o AC Gaia venceu, mas também por apenas um golo à renovada equipa do União.
Por fim o Sol Nascente recebeu e venceu a equipa do Celta por 7-3.


Nas 3 jornadas que faltam até ao final da primeira volta, existirão alguns duelos interessantes, com influência directa na classificação do pelotão da frente que conta agora com 7(!) equipas.
Já nesta semana haverá um Matosinhos – Sol Nascente & um AC Gaia – RPC.
Na semana seguinte jogam-se RPC – TRFL, Matosinhos – AC Gaia & Sol Nascente – Bayern.
Por fim, já depois de uma jornada dedicada à segunda fase da taça, joga-se a ultima jornada da primeira volta da liga com Vai Avante – TRFL & RPC – Sol Nascente.

O Bayern é a unica equipa que se mantém no Top 3 da liga desde o inicio da época. Veremos se é para se manter...

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Chumbo vai a jogo!

sábado, 1 de janeiro de 2011

Esqueçam os vídeos do Mingues - Feliz 2011!