terça-feira, 31 de maio de 2011

A semana do título - Música 2 - Para as azias!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Saiu a fava no primeiro jogo



Ainda foi a primeira jornada e verdade seja dita, só vimos um jogo além deste, mas já parece claro que esta equipa d’Os Maiatos é forte candidata à vitória final. Um plantel vasto, com jogadores que mexem bem a bola e um guarda redes que desequilibra… no ataque, são trunfos importantes, já para não falar numa falange de apoio muito efusiva e numerosa, que encheu a bancada… e o banco bávaro.


Liga Oporto Indoor Games (1ª jornada)
29 de Maio de 2011, 19 horas

Os Maiatos, 4
Bayern Monchique, 1


Jogo no Oporto Indoor

Bayern M. – Rui Sá; Litos, Ricas e Domingues; Cadu.
Jogaram ainda: Tony e Nuno [cap.] (1).
TR: Nuno Silva

Ao intervalo: 2-1
Marcha do marcador: 1-0; 1-1; 4-1



Começou mais um torneio com a participação do Bayern Monchique, aqui sob a designação de “BM 04”. É já a 33ª competição para os bávaros que esperam no próximo fim de semana sagrarem-se campeões da Liga SuperFutsal, mas entretanto entram para este novo torneio sem grandes objectivos classificativos, tentando “honrar a camisola” e ganhando sempre que possível mas essencialmente para se divertirem e “recuperarem” o prazer de jogar só por jogar, depois de uma época muito desgastante e competitiva na LSF.
Reflexo dessa “informalidade” o facto de nem sequer haver um treinador “fixo” com a equipa, sendo uma tarefa que irá “rodar” por entre os jogadores mais antigos. Nesta primeira jornada o lugar foi “ocupado” pelo capitão Nuno que optou por se manter no banco nos minutos iniciais.
Litos, Domingues, Cadu e Ricas foram os eleitos para acompanhar Rui Sá no quinteto inicial. No banco, ao lado do mister-jogador ficou Tony, o mais utilizado jogador bávaro de sempre, que ainda assim teve a oportunidade de entrar em campo por volta dos seis minutos de jogo, para aquele que foi o seu jogo Nº 199 com o emblema do tigre ao peito.

O jogo foi equilibrado e muito disputado pese embora a diferença no marcador possa apontar o contrário. “Os Maiatos” entraram com ligeiro ascendente na posse de bola, mas não conseguiam almejar a baliza de Sá sem ser em remates exteriores. Foi num desses remates de fora da área, já a chegar ao meio da primeira parte que os Maiatos inauguraram o marcador. Rui Sá não terá visto a bola a partir e acabou por ir busca-la ao fundo da baliza.
Nada de especial já que volvidos poucos minutos o Bayern empatou por Nuno, com remate de fora da área a responder bem ao passe de Ricas na marcação de um livre sobre a meia direita.
Infelizmente para os bávaros o empate não durou muito já que os Maiatos voltaram a marcar logo a seguir com remate em zona frontal.

Já na segunda parte o jogo haveria de se resolver com um golo do guardião Zé Cigano em jogada em que saiu da baliza com a bola, criando a superioridade numérica no meio campo ofensivo e entregando a bola numa ala, apenas para a receber de volta para um remate sem hipóteses.
O guarda redes dos Maiatos foi mesmo o grande desequilibrador da partida já que o 4º golo aconteceu em jogada muito semelhante, com o guardião a conduzir a bola em velocidade até ao meio campo contrário, onde em situação de 3 para 2 fizeram um golo “fácil”, ao segundo poste.

O resultado acaba por ser pesado para os bávaros, embora perfeitamente justificado, mas deixa alguns bons indícios para o seguimento da competição.



A Estrela
“Cadu” Rodrigues – nota 7

Com uma incrível fome de bola Cadu foi o bávaro que assumiu as despesas do jogo ofensivo. Nunca se intimidando com as entradas dos adversários, era vê-lo a partir para cima deles e a driblar pelo meio da quadra. Foi pena não ter tido um pouco mais de apoio no meio campo ofensivo…


Os outros bávaros
 Todos nota 6

Mister Nuno Silva – nota 4

A semana do título - Música 1

sábado, 28 de maio de 2011

Venha chuva ou venha Sol

Bayern apostado em ser campeão

Um jogo, apenas um jogo separa o Bayern Monchique do troféu de campeão. Um jogo e provavelmente uma vitória já que não é crível que o RPC venha a escorregar entretanto. Nesta penúltima jornada da liga, a equipa do Sol Nascente ainda assustou com uma vantagem de dois golos, mas foi sol de pouca dura pois os bávaros viraram categoricamente o resultado com seis golos sem resposta.


Liga Superfutsal 2010/11 (20ª jornada)
11 de Maio de 2011, 22,30 horas

Bayern Monchique, 6
G.D. Sol Nascente, 2

Jogo no Pavilhão do Choradinho em Freixieiro – Perafita

Bayern M. – Chumbo; Brito (1), Nuno [cap.], Taboada (1) e Pedro (1).
Jogaram ainda: Chiki (1), Litos (1), Tony e Arnaldo (1).
TR: António José Ribeiro

Ao intervalo: 4-2
Marcha do marcador: 0-2; 6-2



Tozé voltou a apostar no seu cinco base com Chumbo na baliza, Nuno, Brito, Taboada e Pedro mas notou-se que a equipa não entrou bem, permitindo alguns ataques perigosos aos visitantes. Em dois desses lances “permitiu-se” que as redes defendidas por Chumbo abanassem.

Por outro lado o Bayern chegava com alguma facilidade à baliza contrária, mas a bola teimava em não entrar e até no poste esta chegou a bater. Temeu-se o pior mas com paciência as coisas lá mudaram.
Pedro foi o primeiro a marcar para os bávaros e o golo do empate surgiu já com Litos em campo.
O terceiro e quarto golo entraram já com a equipa toda “renovada” à excepção de Chumbo e assim se foi para intervalo, deixando uma tarefa muito mais fácil para a segunda parte que foi mais de gestão por parte do Bayern.
O quinto golo por sinal muito bonito por Taboada, a completar uma bela jogada de Pedro, surgiu já na parte final da partida e por fim, foi Mário Brito que aqui completava 90 jogos pelo Bayern (igualando Pascoal), que completou o resultado com um remate forte, redimindo-se de uma primeira parte com muitas falhas...


Com alguns jogos ainda por disputar nesta penúltima jornada, já só o Bayern e o RPC tem hipóteses de ser campeão. O Bayern até pode nem precisar do ultimo jogo, mas para isso o Real teria de perder em casa do Tarrafal, o que não parece crível…



O filme dos golos

0-1 Contra ataque rápido com a bola a chegar a Fabinho que à entrada da área pica a bola com categoria por cima de Chumbo.

0-2 Mau passe de Brito que permite a Deco partir sozinho para a baliza e desfeitear Chumbo com um remate rasteiro, bem colocado.

1-2 Remate de Brito logo após o meio campo. A bola resvala num adversário e sobra para Nuno que chuta de primeira, mas com a bola a sair algo enrolada e a ser desviada por Pedro quase em cima da linha de golo.

2-2 Passe de Pedro para golo de Litos.

3-2 Arnaldo deixa para Chiki e este aplica um “chutão” de longe que deixa Motinha em maus lençóis.

4-2 Combinação entre Litos e Arnaldo com o golo do ultimo.




5-2 Contra ataque com Pedro no centro a fintar para a direita e a meter a bola na esquerda onde aparece Taboada vindo de trás a rematar. Belo golo!

6-2 Pedro passa a Brito e este tira um adversário da frente, em zona frontal e depois dispara muito forte, sem hipóteses de defesa para Motinha.




A Estrela
Ricardo “Chiki” Santos – nota 8

Marcou o 3-2, o golo da estabilidade para os bávaros e foi sempre o “maestro” da equipa.


Os outros bávaros
Todos nota 7

Mister Tozé – nota 7

terça-feira, 17 de maio de 2011

Será o nosso DESTINO, VENCER?

Último campeonato foi festejado há 2 anos

Costuma-se dizer que o futuro a Deus pertence mas o destino, esse cabe a cada um de nós fazê-lo.
Não sabemos se o Bayern vai ser campeão da LSF. Isso só lá para 3 de Junho é que se deve saber.
O que sabemos é que faz hoje 2 anos que o Bayern Monchique se sagrou campeão pela última vez. Na altura a competição era a Liga FutBaliense, na sua época de estreia e o Bayern “limpou” os prémios todos, num “pleno” histórico que dificilmente se repetirá, até porque a competição só teve mais uma edição depois dessa e já sem a presença dos bávaros.

Hoje que se assinalam 2 anos depois desse domingo, 17 de Maio de 2009, recordamos as principais incidências de um jogo em que o Bayern apenas tinha de empatar para garantir o título de campeão, ainda com uma jornada por disputar, mas que os bávaros orientados por Tozé Ribeiro, “fizeram questão” de ganhar, por 3-0 contra o segundo classificado.

Poderá clicar aqui para ver a reportagem original desse dia e desse jogo, onde Rui Sá foi um “monstro” que manteve inviolável a sua baliza, Tony o capitão na ausência de Nuno, Correia o homem que abriu o caminho para a vitória, Pascoal o “imperador” da defesa que marcou um golo do meio campo e se sagrou o MVP da partida e Pedro o artilheiro que selou o triunfo por 3-0, entre outros heróis…
 

Faltam menos de 3 semanas para se saber se o Bayern se sagrará ou não campeão na Liga SuperFutsal. Enquanto não se sabe, fica a homenagem bem merecida aos últimos campeões pelo Bayern (na FutBaliense).

Foram eles Tony com 12 jogos;
Rui Sá 11;
Canhão 10;
Pascoal e Pedro 9;
Domingues 8;
Nuno, Brito e Rouxinol 6;
Correia e Portero 4;
Litos, Cadu e Nunes 2;
Arnaldo, Serginho e Fernando 1.

Quanto aos marcadores, foram eles Pedro com 19 golos;
Domingues 8;
Correia e Tony 4;
Pascoal e Canhão 3;
Brito e Rouxinol 2;
Arnaldo, Litos, Cadu e Nunes 1

Os reis dos passes para golo foram Correia e Pedro com 8 assistências;
Pascoal 6;
Tony 4;
Brito e Domingues 3;
Litos e Fernando 2;
Rui Sá, Rouxinol e Canhão 1

Pedro, Pascoal e Rui Sá foram por essa ordem considerados os melhores bávaros nesta liga.


E já que de campeões falamos sabiam que só dois atletas estiveram presentes em todos os títulos (6 Ligas, 1 Taça e 1 Supertaça) conquistados pelo Bayern Monchique?

Tony e Canhão são essas duas referências que voltarão a ver o seus nomes entre os de Campeão se o Bayern vencer a LSF 2010/11.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Fartote


O primeiro dos três jogos que o Bayern tinha de ganhar para ser campeão, mais não foi que um “rebuçado adocicado”. Um fait diver na dura tarefa que será conquistar o título. A jogar contra apenas cinco voluntariosos adversários, os bávaros “encheram a mula” e conseguiram a goleada da época.


Liga Superfutsal 2010/11 (20ª jornada)
11 de Maio de 2011, 22,30 horas

Bayern Monchique, 13
Celta Gaia, 2

Jogo no Pavilhão do Choradinho em Freixieiro – Perafita
Bayern M. – Chumbo; Brito, Nuno [cap.] (2) e Taboada (3); Pedro (7).
Jogaram ainda: Domingues, Tony e Arnaldo (1).
TR: António José Ribeiro

Ao intervalo: 6-0
Marcha do marcador: 8-0; 8-1; 10-1; 10-2; 13-2


O Celta apresentou-se com vontade mas desfalcado. Apenas cinco elementos como tem sido habitual nos últimos tempos e um deles combalido, a recuperar de entorse num pé. Nem a pujança do mister Aurélio no(s) banco(s) impediu que os seus pupilos fossem cilindrados, mas pelo menos cumpriram com a promessa do mister e fizeram os dois golos.
A história do jogo quase se resume aos golos…


O filme dos golos ao minuto
1m [1-0] Brito deixa para Taboada que finta para a direita e dispara muito forte. Autentica “Trovoada” que foi brindada com fortes aplausos nas bancadas, onde alguém dizia que esta típica finta havia sortido efeito na 2ª jornada contra os RDI… e depois disso “nunca mais”... até hoje.

7m [2-0] Brito mete a bola na zona frontal onde aparece Pedro a ajeitar com o pé esquerdo e a rematar forte com o direito.

10m [3-0] Taboada para Brito no lado direito da área. Brito assiste Pedro no coração da área e este faz o golo.

12m [4-0] Um corte de Taboada proporciona a Pedro um contra-ataque em que corre o meio campo ofensivo sozinho até à área, onde à saída de Valter, escolhe colocar a bola junto ao poste direito.

14m [5-0] Pedro assiste Taboada pela direita e este remata colocado.

16m [6-0] A bola é metida pelo Chumbo desde a baliza para Arnaldo que amortece de cabeça para Tony. A bola vai novamente para Arnaldo já dentro da área e este deixa para trás para Pedro que faz um "poker" a terminar a primeira parte.



21m [7-0] Domingues corre pela linha direita, entra para a área e assiste Nuno do lado contrário.

24m [8-0] Passe de Domingues do lado esquerdo. Nuno recebe a pivot, roda e marca à meia volta.

26m [8-1] Golo de Lucas.

29m [9-1] Passe de Pedro para o hat-trick de Taboada ao segundo poste.

35m [10-1] Pedro recupera a bola no meio campo, parte da esquerda para o centro e remata com belo efeito em zona frontal.

35m [10-2] Golo de Saul.

36m [11-2] Brito vai até à linha pela direita. Vira-se para trás e toca para a entrada de Taboada que centra tenso, na passada. Pedro desvia ao segundo poste.

39m [12-2] Passe de Domingues e Pedro chega aos 7 golos.

39m [13-2] Dois para um contra o guarda-redes. Pedro assiste Arnaldo.



Com apenas duas jornadas por realizar o AC Gaia perdeu praticamente as esperanças que tinha de chegar ao título, ao perder em casa do Real Portvscale, que promete dar luta ao Bayern até ao fim.
Nas jornadas que faltam Bayern receberá Sol Nascente e terminará a liga em casa dos Amigos FC.
Já o RPC fará duas deslocações, primeiro ao TRFL e depois ao Sol Nascente, curiosamente no mesmo dia em que o Bayern vai aos Amigos.


A Estrela 
 
Pedro Sousa – nota 8
Tirando o primeiro golo teve ligação directa a todos os golos da sua equipa, enquanto esteve em campo. Com 7 golos e 3 assistências mostrou a sua qualidade como grande jogador e goleador e só um “golpe de teatro” lhe poderá roubar a honra de ser o “Pichichi” da liga.

Os outros bávaros
Taboada – 8
Chumbo, Brito, Nuno, Domingues, Tony e Arnaldo – 7

Mister Tozé – nota 7

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Futuro em cima da mesa


Na contagem decrescente para mais uma "final" rumo ao ambicionado título de campeão da LSF, hoje, diante do Celta do Gaia, a administração da SAD do Bayern Monchique reuniu-se à mesa, ao almoço, para debater as linhas-mestras do futuro e a revolução que irá ocorrer no grupo-de-trabalho. Pelo que foi possível apurar, entre o frango com arroz e cenoura, pizza do dia, e uma incrível caldeirada de lulas com cogumelos (!), ninguém está a salvo e devem rolar cabeças!
Garantida (como se vê na foto) está a empatia e sintonia entre os elementos mais antigos do plantel, o chamado Bayern 04, e o futuro, garante fonte oficial, passa mesmo por eles. Na reunião, esteve ainda presente um elemento que não foi possível confirmar a identidade, mas, segundo fonte não oficial, o mesmo possui curso de treinador nível 5 (pode treinar na Champions) e actualmente encontra-se no desemprego. Mesmo ao final do almoço, um episódio caricato criou mal-estar a Pedro Domingues, que descobriu que, afinal, há elementos remunerados no seio do plantel. E não, não é o artilheiro Pedro Sousa. Esse também paga!

segunda-feira, 2 de maio de 2011

E à terceira… não foi de vez!

Foi apenas mais do mesmo nestes embates com os gaienses.

Podia-se falar de azar, podia-se falar de arbitragens, podia-se até falar de tácticas... mas para quê?
Contra factos não há argumentos. Terceiro jogo entre as duas equipas e terceira vitória do AC Gaia, numa prova incontestável de superioridade dentro da quadra, onde interessa ser superior.



Liga Superfutsal 2010/11 (18ª jornada)
27 de Abril de 2011, 22,30 horas

Bayern Monchique, 1
AC Gaia, 2

Jogo no Pavilhão do Choradinho em Freixieiro - Perafita

Bayern M. – Chumbo; Chiki, Brito [cap.] e Pedro (1); Litos.
Jogaram ainda: Taboada, Nuno e Domingues.
TR: António José Ribeiro
Disciplina: Chiki (amarelo por protestos)

Ao intervalo: 1-0
Marcha do marcador: 1-0; 1-2


De início, estranhou-se a braçadeira de capitão no braço do Mário Brito, pese embora Nuno Silva estivesse convocado, no banco. Estranho por esse facto, porque dos convocados era apenas o quinto na antiguidade e o quarto no número de jogos com 87 presenças. Mais estranho ainda pelo facto de ser um atleta com as cotas em atraso, um verdadeiro sacrilégio nos dias de hoje.
Obviamente não foi por aí que o Bayern perdeu o jogo, mas não deixa de ser curioso que já da única vez que o Brito havia sido capitão, o resultado fora uma esmagadora derrota (2-8) com o Cascata Café.

O jogo até começou bem para o Bayern, a trocar bem a bola. Antes da passagem dos 10 minutos, Litos que fez a posição de pivot, recebeu e trabalhou bem uma bola à entrada da área e de costas para o defensor e a baliza, deixou de calcanhar para a entrada de Pedro que inaugurou o marcador.
O Bayern continuou a trocar bem a bola mas o segundo golo nunca apareceu.
Perto do intervalo, num momento de surrealismo, as atenções voltaram-se para o banco dos gaienses onde Veloso pregou um susto a todos os presentes (e a ele próprio), mas felizmente ficou “tudo bem”.

Certo é que os gaienses acabaram por fazer toda a segunda parte com os mesmos 5 elementos que concluíram a primeira, mas nem assim os bávaros conseguiram impor-se. A remontada foi “inesperada” e começou num erro grosseiro de Taboada que perdeu a bola em zona proibitiva, dando origem ao remate certeiro de Paulo Silva, à entrada da área.
Depois foi o capitão Nelo a dar machadada final numa equipa sem vontade de contrariar os acontecimentos, refugiando-se em críticas ao árbitro e à má sorte…
Já dizia o “tio Mou”: “não confio na sorte mas sim no trabalho sério”.


À 16ª jornada, quando o Bayern venceu o Real Portvscale, dando um passo de gigante rumo ao título, sabia que dificilmente poderia ser campeão se escorregasse mais que uma vez nos restantes jogos.
A escorregadela chegou logo 2 jogos depois. Agora faltam 4 “finais” e não podem haver tropeções. Espera-se nada menos que 4 vitórias nestes jogos contra CFC, Celta, Sol Nascente e os perigosíssimos Amigos.
Certo é que ao longo da época o Bayern nunca conseguiu vencer mais que 3 jogos seguidos…


A Estrelinha(à falta de melhor…)
Ricardo “Chiquilin” Santos – nota 6


Os outros bávarosLitos e Pedro – 6
Chumbo, Brito, Nuno e Domingues – 5
Taboada – 4

Mister Tozé – nota 4