quinta-feira, 28 de março de 2013

3 x 3 = 0?


Num só jogo Bayern pode ter perdido 9 pontos…

Até aos 38 minutos as coisas podem-se pôr em termos muito simples. Duas equipas a jogarem bom futsal. Jogadas de golo nas duas balizas e os guardiões a sobressaírem. Uma equipa eficaz… a outra não.
Dos últimos dois minutos nem vale a pena falar…
 
 
III Liga FutsalSport (19ª jornada)
23 de Março de 2013, 16 horas
 

 
 

Bayern
Monchique, 0

 
 
 


C. S. Sra.
Hora Futsal, 3

 
Jogo no Pavilhão do Colégio de Gaia

Bayern M. – Rui Sá; Norberto, Nuno [cap.] e Leandro; Hugo.
Jogaram ainda: Taboada, Cadu, Litos e Domingues.
TR: Arnaldo Martins
Disciplina: Norberto (vermelho por palavras)

Ao intervalo: 0-1

 
Ainda mais do que o habitual, esta não é uma crónica (+/- neutral), mas antes uma opinião muito pessoal minha:

Na primeira volta, ninguém o sabia mas o empate com o S. Lourenço era apenas o início de um ciclo muito negro de resultados. Seguiram-se três derrotas, com Sra. Hora, Fura Redes e Vedetas…

Nesta segunda volta o objectivo passava por melhorar sempre que possível os resultados alcançados na primeira volta. Começamos bem, ganhando dois jogos que também ganhamos na primeira volta, mas agora com resultados mais esclarecedores ou convincentes.
Depois veio o “S. Lourenço” e não conseguimos mais do que exactamente o mesmo resultado (1-1) da primeira volta. Apenas um percalço, pensou-se.

Seguiam-se três jogos em que fomos derrotados e a expectativa e esperança de fazer melhor era grande, e se me permitem, era fundada. “Começamos” mal. Péssimo diria. Não pelo resultado, mas pela imagem. Fizemos um bom jogo e não era nada fácil. O adversário reforçou-se bem para atacar a segunda volta e o tri-campeonato. Para mais tinha a felicidade de estar na máxima força para este jogo.

Diria que este até foi provavelmente o melhor jogo que já fizemos contra esta equipa, mas não conseguimos marcar quando tivemos oportunidades. A meu ver até tivemos as oportunidades mais flagrantes. Aquela do Litos logo a seguir ao golo que sofremos marcou o jogo e a exibição do próprio Litos. Já tinha sido ele a falhar no golo sofrido e depois com a oportunidade de “remendar” a situação, de baliza aberta, não conseguiu o golo. Paciência, há jogos assim!
O que não podemos é sofrer um golo ridículo como o terceiro, nem ter um jogador expulso daquela forma. Para quê?!?!?
Palavras para o árbitro, já passados minutos de um lance em que podíamos ou não ter razão…
Este jogo “já estava” perdido, mas assim ficamos também amputados de um jogador que é importantíssimo, para os próximos dois jogos, numa fase “decisiva” da época.

Continuo com a ideia que podemos fazer melhor nestes dois jogos, mas claro, sem o Norberto as nossas possibilidades de sucesso diminuem drasticamente e mesmo a maneira de encarar o jogo serão necessariamente muito diferentes.

No seu jogo 100 pelo Bayern Monchique o Norberto merecia ser destacado por outros "feitos"...

De uma maneira geral, resumo tudo a uma frase: “Temos de saber perder”! Independentemente de haver um outro erro de julgamento da parte dos árbitros, só nos podemos queixar de nós próprios. Que se passa connosco?

Não é por acaso que nunca perdemos pela diferença mínima. Podemos ganhar por um, dois, três, quatro e por ai fora, mas quando perdemos é sempre por três… quatro… seis golos. Há sempre um descontrolo emocional que aparece quando sofremos o segundo golo e depois é sempre a somar…

Será que vamos fazer ZERO pontos em 9 possiveis?
Acredito que não. Faltam 2 jogos deste ciclo negro. Vamos ver…

 

Incluo também aqui a opinião do Mister Arnaldo, que subscrevo:

“A verdade é que acho que temos de começar a jogar mais e a falar/discutir menos, porque não ganhamos nada com isso.

Perdemos bem. Por números exagerados, mas perdemos bem frente a uma equipa que, neste jogo, me pareceu ao nosso alcance mas que foi mais eficaz. Não aproveitámos as ocasiões e 2-0 acabou com o jogo. Parabéns ao Sr.ª Hora. Nos últimos 5 minutos, perdemos a cabeça e, infelizmente, o que fica é a última imagem, que foi mais um golo ridículo e uma expulsão desnecessária. Gostei da atitude e empenho até aos 35 minutos, mas depois perdemos a razão, muito embora admita que, mais uma vez, faltou bom senso por parte da arbitragem. Sinto que nem sempre somos devidamente valorizados e respeitados". 

 



A Estrela

Hugo Martins – nota 6

Fez uma boa primeira parte. Estava a conseguir espaços e a assistência para o Litos não é meio golo, é para aí 99% de um golo. Faltou o resto mas o Hugo fez a sua parte. Neste e noutros lances em que a pontinha de sorte não quis nada com ele…


Os outros bávaros

Norberto e Litos – 4
Rui Sá, Nuno, Leandro, Cadu – 5
Taboada – 6
Domingues (-)
 

Neste jogo penso que se destacaram 4 jogadores. Hugo, que já destaquei, Taboada, Norberto e Sá.
O Taboada fez um grande jogo. Foi pena a perda de bola num lance em que partíamos em vantagem numérica e podíamos empatar. Ao invés acabamos por sofrer aí o segundo golo.

O Norberto é aquilo que se sabe. Enorme! Lembro-me de uma jogada em que ele perde a bola para o Ruben no ataque, mas vem atrás dele até à nossa área, impedindo-o de rematar. Atenção que estamos a falar de um jogador (Ruben) que deve pesar uns 50kg, leve como uma folha, mas já depois de meia hora de jogo, todo roto, o Nó consegue correr mais de meio campo atrás dele e ainda roubar-lhe a bola, já na área. Fantástico!
Depois “estragou tudo” com a expulsão…

O Sá também esteve em grande. Travou algumas jogadas de golo e a organização até o elegeu como melhor em campo. A esse propósito devo dizer que discordo em absoluto da organização. Colocar o guarda redes de uma equipa que perdeu 3-0 como melhor em campo, dá a sensação a quem não viu o jogo, que foi um “massacre”.
Se a equipa levou 3 e ainda assim o melhor foi o guarda-redes, então se calhar podiam ter sido 7 ou 8. NADA MAIS FALSO!
Além disso tem aquela “nabice”, marcando o 3-0 na própria baliza.

terça-feira, 19 de março de 2013

O mesmo massacre, o mesmo resultado...


Já vimos este filme!

O herói da pelicula continua sem perder em 2013, mas…

A sequela da primeira volta mostrou ser um “filme” pouco original. O mesmo argumento, a mesma dificuldade em furar a muralha, a mesma sensação de quase derrota… e quando já “ninguém” acreditava, o mesmo resultado.



III Liga FutsalSport (18ª jornada)
16 de Março de 2013, 16 horas




Grupo Desportivo
e Cultural
S. Lourenço, 1



Bayern
Monchique, 1



Jogo no Pavilhão do Colégio de Gaia

Bayern M. – Miguel; Leandro, Litos e Tony; Cadu.
Jogaram ainda: Domingues, Nuno [cap.] (1), Hugo e Arnaldo.
TR: Arnaldo Martins
Disciplina: Arnaldo (amarelo por suposta simulação de falta)

Ao intervalo: 0-0
Marcha do Marcador: 1-0; 1-1



Não sei se o Bayern perdeu dois pontos ou se ganhou um…

Esta equipa do S. Lourenço é uma “muralha”. A principal preocupação é fechar a sua baliza. O ataque é secundário e o importante é mesmo não sofrer golos.

Tem o 3º pior ataque da Liga e basta ver que em 18 jornadas nunca marcou mais que 3 golos num jogo e mesmo 3 golos só o conseguiu por duas vezes, num empate a 3 com o Congo e numa vitória 3-1 sobre o “Antas Futsal”.

No fundo joga com as armas que tem e ninguém lhes pode levar a mal por isso.

O Bayern fez o que lhe competia. Jogou sempre no meio campo do adversário, pressionou, trocou muito a bola, teve muita paciência, procurou abrir brechas, mas das poucas vezes que conseguiu rematar, o guardião José Carvalho esteve sempre lá.

Inclusive nos últimos 5 minutos, a jogar contra 4 após expulsão do pivot, o Bayern teve paciência mas acabou por nunca ter uma pontinha de sorte…

Já no S. Lourenço quando tiveram bola, poucos foram os ataques que conseguiram gizar. A pressão dos bávaros levou a muitas perdas de bola e os “vermelhos” de Gaia optaram quase sempre por colocar a bola na frente…

O contra ataque é de resto a principal… e única arma ofensiva desta equipa. Neste caso quase que era fatal. Depois de 39 minutos em que a posse de bola deve ter sido 90% do Bayern, as “Corujas” fizeram a festa num contra ataque em 3 ou 4 toques.

Autentico crime de “lesa futebol” (futsal neste caso), a vitória do S. Lourenço parecia inevitável naquele último minuto da partida. Valeu uma iniciativa individual de Hugo, bem finalizada pelo “capitán” que completava nesta partida o seu jogo 200, não para colocar justiça no resultado, mas pelo menos para impedir uma justiça maior.

O empate soube a pouco, mas como disse antes, não sei se perdemos dois pontos, ou se acabamos por ganhar um…

Apesar do empate o Bayern mantém o 6º lugar, pois também o Antas Futsal empatou (3-3 com o Congo). No fundo e embora já com 4 empates e apenas 2 vitórias na bagagem, continua sem perder em 2013.



O filme dos Golos

39m [1-0] Bola metida nas costas de Cadu. Tiago corre com a bola pela linha de fundo e à saída de Miguel mete a bola em Diogo no meio. Este tem tempo para parar a bola e só com Domingues a tentar “tapar” na linha de golo, escolhe onde colocar a bola.

40m [1-1] Já em “desespero” Hugo aparece na entrada da área. Finta o seu adversário e já perto da linha de fundo remata(?). Nuno aparece de carrinho ao segundo poste a emendar



A Estrela

Hugo Martins – nota 6

Apesar de algumas más decisões na hora de definir remate ou passe, foi o único que conseguiu criar desequilíbrios e encontrar espaço para o remate.

O golo do empate sai de uma jogada em que acredita, vai para cima do defesa e já com pouco ângulo atira forte. Um centro-remate que apanha Nuno no segundo poste para concluir.


Os outros bávaros

Todos nota 6

sábado, 16 de março de 2013

Video reportagem da 17ª jornada


terça-feira, 12 de março de 2013

Arnaldo pede "Calma"!


E calma foi quanto bastou… pena aquele ultimo minuto

Depois de longa paragem o Bayern voltou a protagonizar uma actuação serena, sólida e segura e com uma entrada forte no jogo, ao intervalo já tinha tudo resolvido.
 
 
III Liga FutsalSport (17ª jornada)
9 de Março de 2013, 16 horas

 

 
 
 
Bayern
Monchique, 7

 
 
 
 
 
 
Padrão
Vermelho 012, 3

 
Jogo no Pavilhão do Colégio de Gaia

Bayern M. – Sá; Leandro, Norberto (2) e Litos (1); Tony.
Jogaram ainda: Domingues, Taboada (1), Nuno [cap.] (1) e Arnaldo (2).
TR: Arnaldo Martins

Ao intervalo: 4-0
Marcha do Marcador: 5-0; 5-1; 7-1; 7-3


O Bayern continua sem perder em 2013. Esta foi a 36ª vitória de Arnaldo como mister do Bayern. 5 empates e 9 derrotas completam o role. Com 75,3% de aproveitamento é um dos treinadores bávaros com melhor taxa de sucesso, apenas superado por Pascoal (79,2%) e o “invicto” Ricas (100%). A diferença é que estes apenas fizeram 8 jogos cada, ao passo que Arnaldo completou aqui os 50 jogos. Ainda muito longe da mais de centena de jogos de Tózé, obviamente...

Mas não foi só no banco que Arnaldo foi importante. Também na quadra deixou a sua marca. Entrou apenas na segunda parte mas foi o suficiente para fazer 2 golos, repetindo a “gracinha” da jornada anterior, há um mês atrás.

Nunca seria um jogo perfeito, muito longe disso, mas o resultado poderia ter outra expressão, não fosse pelo último minuto da partida…

O Bayern entrou bem, marcando logo. Não foi no primeiro remate, mas foi no segundo. A partir daí foi-se alicerçando e ampliando uma vantagem totalmente justificada. A cinco minutos do intervalo já o Bayern vencia por 4-0. Aproveitou Arnaldo para gerir o plantel e os jogadores congelavam a posse de bola. Apesar de algumas perdas de bola a meio campo neste período, a vantagem de 4 golos nunca esteve em risco.


Entrada no segundo tempo já com Arnaldo no cinco e novamente uma entrada forte. Depois de algumas ameaças lá apareceu novo golo, o quinto, depois de algum “suspense”, derivado da calma e segurança de Arnaldo na execução.
Qual “Cristiano Arnaldo”, virou-se para os colegas depois do golo e gesticulou, como que dizendo “calma que eu resolvo”.

No minuto seguinte e provavelmente fruto de alguma desconcentração que veio do quinto golo, os bávaros deixaram-se bater. O golo foi de Alex, terceiro melhor marcador do campeonato e sem dúvida o mais “mexido” do Padrão.

De novo o Bayern voltou a assentar o jogo e não demorou a que mais dois golos surgissem.

A perder por 7-1 e em “desespero de causa” os “Avintenses” tentaram o guardião avançado. Sem grande sucesso diga-se. Não fosse pela precipitação de alguns bávaros que optaram pelos remates sem qualquer tipo de preparação e o Bayern poderia ter conseguido aqui mais alguns golos.
O Padrão Vermelho não assustou com o cinco para quatro, mas acabaria por reduzir duas vezes o resultado no ultimo minuto da partida, aproveitando um certo relaxar da equipa, numa fase em que já só se queria marcar mais golos e afrouxou-se a defesa.

Vitória completamente justa e sétimo lugar mais que seguro. A ideia agora é atacar o sexto posto que para já é dos bávaros, pelo menos até quarta…

 

O filme dos Golos ao minuto

1m     [1-0]  Litos lançado pela esquerda remata à entrada da área para defesa apertada do guardião. Na recarga, o próprio Litos fez a bola entrar com violência junto à barra superior.

5m     [2-0]  Tony intercepta a bola ainda no seu meio campo e arranca para a área contrária. Com a “cavalaria a chegar” assiste Norberto que remata de primeira de pé esquerdo. O guardião ainda toca na bola mas esta escapa-se-lhe por baixo do corpo.

12m   [3-0]  Assistência de Norberto, a cruzar todo o meio campo, para a entrada em voo de Taboada que com um toque em habilidade faz um chapéu ao guardião. A bola entra sem espinhas na baliza. Grande golo!

14m   [4-0]  Nuno solicita Domingues na frente e corta para a área. Domingues controla a bola e assiste de volta. Nuno recebe já na área com um toque a antecipar-se ao redes e a fazer a bola passar por cima deste. Depois foi só completar com um pequeno toque em habilidade para a baliza. Bonito e a provocar orgasmos no banco!

 

24m   [5-0]  Passe de Taboada a isolar Domingues pela direita. No “dois para um” Domingues assiste Arnaldo à entrada da área. Este com muita classe “senta” o guardião e puxa para o lado antes de desferir o remate.

25m   [5-1]  Contra ataque com o Padrão a aparecer em superioridade numérica na área bávara. Alex faz o golo.

28m   [6-1]  Contra ataque simples, lançado por Taboada. Norberto faz o passe e Arnaldo bisa com facilidade.

32m   [7-1]  Muito semelhante ao anterior mas desta vez com Arnaldo a devolver a Norberto para também este bisar na partida.

39m   [7-2]  O Bayern sofre novamente golo em contra ataque com Alex a deixar Norberto fora de jogada com uma rápida finta de corpo, antes do remate fatal.

40m   [7-3]  “Tudo a nanar”. Minuto louco para os bávaros, apanhados outra vez com a defesa descompensada, permitindo aos “avintenses” trocarem a bola como quiseram, até António Mota fazer o remate, já com Rui Sá fora do caminho.


 

A Estrela

Norberto Sousa – nota 7

Um lugar-comum ao qual se torna difícil escapar. Pelo que joga e faz jogar a equipa, já é habitualmente o mais forte candidato a melhor em campo. Se ainda por cima resolve o jogo com dois golos e duas assistências, então é “impossível contornar” a sua influência.
Atrás nem foi a muralha intransponível que costuma ser habitualmente, mas este era essencialmente um jogo para atacar, propicio a algumas leviandades defensivas…

Para Taboada ficou a distinção da organização.
 

Os outros bávaros

Todos nota 7.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Harlem Shake


 
À falta de bola, foi isto que se arranjou para actualizar o blog ;)