terça-feira, 19 de abril de 2016

Deixem-nos pousar!


Segunda vitória deixa Bayern isolado (à condição)

Muitos e jovens, os Flamingos vieram do Freixo com vontade de sonhar e voar alto. Desta vez sem Kéké, os bávaros adoptaram uma postura diferente, de maior cautela, nem podia ser de outra forma. Entregaram o controlo do jogo ao adversário e souberam sofrer, sempre tentando evitar o golo do empate… até ao momento em que cortaram as asas ao flamingo.



Liga Oporto Indoor (2ª jornada)
17 de Abril de 2016, 19 horas

Bayern Monchique, 3
Flamingos do Freixo, 1

Jogo no Pavilhão do Oporto Indoor, no Porto

Bayern M. – César; Nuno [cap.], Brito (1) e Tony (1); Canhão.
Jogaram ainda: Serginho (1) e Domingues.
TR: António Silva

Ao intervalo: 2-1
Marcha do marcador: 0-1; 3-1




Várias alterações nos bávaros ao figurino da primeira jornada. Saíram Kéké e Saavedra e entraram Brito, Serginho e Domingues. A equipa ressentiu-se da ausência de Kéké. Ainda assim, sem ter alguém que conseguisse transportar a bola, os bávaros tinham obrigação de mais e melhor na circulação e saída de pressão, coisa que só conseguiu durante fugazes 10 minutos da primeira parte.

Depois do ambiente de “palhaçada” que antecedeu o apito inicial, com os homens do Freixo a usarem mascaras do Joaquim Monchique no alinhamento das equipas, esperava-se que esta fosse uma equipa de “boas festas”, mas não era bem assim. Com um ou outro elemento interessante, todos com juventude para dar e vender e também com um bom guarda-redes, os Flamingos surpreenderam os bávaros com uma pressão alta e marcaram cedo, aproveitando bem uma facilidade defensiva.

Os bávaros tiveram de suar um bocado e chegaram ao golo numa recarga de Tony, já depois das primeiras substituições.

Serginho era o elemento mais perigoso do ataque e foi ele que colocou o Bayern em vantagem, já depois de Domingues ter desperdiçado um lance, sozinho com o guarda-redes e de Brito ter mandado um bilhete do meio da rua, superiormente bloqueado pelo guardião.
Os dez minutos intermédios da primeira parte foram o melhor período do Bayern na partida, mas o adversário causava algum calafrio, principalmente quando ganhavam aqueles ressaltos estranhos, em slalons meio trapalhões.




Se o guarda-redes inicial era bom, o da segunda parte ainda era melhor e apesar de algumas oportunidades os bávaros não conseguiam matar o jogo. As forças também começavam a falhar…

Já a tentar o cinco para quatro, os Flamingos quase empataram, com o guardião a conseguir um remate espectacular que foi embater na quina da baliza, entre o poste e a trave. A sorte protegeu aqui o Bayern, mas na outra baliza revelava-se madrasta.

A meio da segunda parte Brito conseguiu interceptar um passe no meio campo, indo a bola parar à zona esquerda do ataque bávaro. Depois, em três ou quatro passadas rápidas chegou primeiro que o guardião e o defesa à bola e conseguiu meter o esférico na baliza deserta.
O golo veio na altura exacta, quando as forças já escasseavam e recompensou a “paciência” (chamemos-lhe assim…) dos bávaros. Depois foi aguentar, mas já com outra confiança e certeza.

Vitória justa mas muito suada e agora é que começam as “provações”, com dois adversários de peso nas próximas jornadas.





O filme dos golos ao minuto

4m     0-1     Brito dá muito espaço no acompanhamento do adversário. Francisco recebe na paralela e remata cruzado de pé direito à meia volta. A bola vai entrar junto ao poste mais distante, sem hipóteses para Cesar.

7m     1-1     Serginho mete em Domingues a pivot. Este calca de novo para Serginho que manda bico de fora da área. A bola bate no poste e sobra para o lado esquerdo da área. Tony aparece a recarregar com o pé esquerdo.


9m     1-2     Domingues no meio assiste na corrida de Serginho pela direita. O remate sai por baixo do guardião que saia a fazer a mancha.

31m   1-3     A defender no 5 para 4, Brito consegue o corte sobre o último defesa e corre atrás da bola para a desviar para a baliza de pé esquerdo.




A Estrela

Cesar Silva – nota 7

Esteve péssimo com os pés, chegando ao ponto de entregar a bola no adversário à sua frente, mas a defender esteve impecável e foram várias as situações de golo que evitou.




Os outros bávaros

Nuno e Canhão – 5
Brito, Tony e Domingues – 6

Serginho – 7

4 comentários:

Leandro Massada disse...

Serginho sempre em grande.
Top

Escuteiro Rocha disse...

Estou a vender uma mota. Gasolina e com um banco bem fofinho. 913012558

rui disse...

Acho k agora contra os ômega viram que o torneio não é fraco

rui disse...

Acho k agora contra os ômega viram que o torneio não é fraco