sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Transfigurados para a segunda parte


Entrada forte após o intervalo valeu a vitória

O Bayern entrou bem no jogo e teve sempre mais ascendente, mas tal não se traduzia em golos e acabou por sofrer primeiro. Ao intervalo perdia por 2-1 mas o recomeço do jogo foi o momento chave da partida, com um golo que era apenas do empate, mas que “matou” o adversário. Não demorou a passar para a frente do marcador e os últimos dez minutos já foram de gestão, criticando-se apenas o sofrimento (desnecessário) no final.



Liga Oporto Indoor (1ª jornada)
9 de Outubro de 2016, 17 horas

F.C. Presto, 3
Bayern Monchique, 4

Jogo no Pavilhão do Oporto Indoor, no Porto

Bayern M. – Max; Tony (1), Nuno [cap.] e Litos; Correia (1).
Jogaram ainda: Domingues, Brito e Leandro (2).
TR: António Silva
Disciplina: Litos (amarelo por agarrar o adversário no ataque)

Ao intervalo: 2-1
Marcha do marcador: 1-0; 1-1; 2-1; 2-4; 3-4




Não foi a melhor estreia nem a vitória segura que se desejava, mas foram essencialmente três pontos que não se podiam desperdiçar.

O Presto é uma equipa “chata” que consegue sempre criar perigo. Jogando contra apenas cinco homens, o Bayern deveria ter imprimido outro ritmo, mas só a espaços se viu essa troca de bola rápida, tal como no 1-1 de Leandro por exemplo.
Leandro chegou tarde para a foto de equipa, mas aqui apressou-se bastante para marcar o golo, ele que tinha acabado de entrar em jogo.

O começo da segunda parte foi de facto marcante, pois o empate, por Correia, conseguido daquela forma, ao roubar a bola logo na jogada inaugural, deitou abaixo a moral contrária.

Depois veio o golo de Tony, novamente fruto de se meter velocidade no jogo, no caso num contra ataque muito bem lançado por Max e mas tarde o 2-4 por Leandro, num momento de inspiração (?) e persistência.

A partir daí o Bayern nunca mais poderia deixar fugir os 3 pontos, mas a verdade é que esse receio chegou a pairar no ar quando o Presto reduziu para 3-4 ainda com algum tempo para jogar.

No final reconhece-se a justiça da vitória, mas se esta é a competição que o presidente coloca como o objectivo principal da época, então o Bayern vai ter de mostrar mais… muito mais, para pelo menos andar lá perto.





O filme dos golos ao minuto

11m   1-0     Golo de Márcio, com remate em zona frontal, após ganhar os ressaltos no meio de três bávaros. A bola sai “à figura”, mas forte, sem que Max a consiga parar.

12m   1-1     Domingues “estica” o jogo na extrema-esquerda. Brito mete-lhe a bola e Domingues de primeira, mete a bola tensa ao segundo poste, com Leandro a encostar.

19m   2-1     Golo do Brasileiro ao segundo poste, a passe de Márcio, em jogada de superioridade numérica.


20m   2-2     Recomeço da segunda parte para o Presto. Correia antecipa-se e rouba o esférico. Dá para Litos no meio e corta para a área para receber de volta e bater o guardião.

24m   2-3     Contra-ataque muito rápido. Max faz o lançamento de baliza directamente para o ataque. Tony surge pela ala esquerda, controla a bola e trava na entrada da área. Com os colegas “tapados” decide-se pelo remate. A bola “fura as mãos” do guardião e entra no ângulo.

34m   2-4     Leandro avança pelo centro, ganha a bola na dividida e remata à entrada da área.

39m   3-4     Defesa mal posicionada. A bola é metida na ponta esquerda. Com Brito muito longe é Nuno quem faz a dobra mas falha-se na marcação a Márcio que aparece ao segundo poste.


 
A Estrela

Carlos “Litos” Pinto – nota 7

Antes de se despedir dos colegas (vai estar um mês “fora de combate” após cirurgia), fez uma exibição à Litos. Cheio de vontade e com uma bela assistência para Correia. Apareceu imensas vezes como pivot a receber e a segurar a bola e não se coibiu de levar um amarelo ao cortar um contra-ataque potencialmente perigoso pela raiz.


Os outros bávaros

Max, Nuno, Tony, Domingues e Brito – 6

Correia e Leandro – 7